POLAROIDES RETORNO – Nº 18


Em 2010, criei uma série de polaróides (nome que originou do inglês: polaroid) para o blog.

Foi tão divertido que em seguida, resolvi fazer um fotolivro e presentear alguns amigos.

Hoje mexendo em alguns arquivos no meu computador, bateu uma saudade e decidi produzir mais algumas que colocarei posteriormente nos posts a seguir.

Retomo com algumas frases do Manoel de Barros.

POLAROID Caminho Grecia

“Pois minha imaginação não tem estrada. E eu não gosto mesmo da estrada. Gosto do desvio e do desver.”

 

 

“Tentei descobrir na alma alguma coisa mais profunda do que não saber nada sobre as coisas profundas.

Consegui não descobrir.”

 

 

“A palavra amor anda vazia. Não tem gente dentro dela.”

 

 

“…que a importância de uma coisa não se mede com fita métrica nem com balanças nem barômetros etc.

Que a importância de uma coisa há que ser medida pelo encantamento que a coisa produza em nós.”

 

 

Manoel de Barros

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *